Preocupação com economia afeta aprovação de Trump, diz pesquisa

Índice de aprovação do presidente Trump é afetado, em meio à crescente preocupação pela economia

O índice de aprovação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, caiu drasticamente em meio à crescente preocupação com as perspectivas de uma recessão - aponta uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (10).

A saúde da economia americana é um dos temas centrais da campanha de reeleição de Trump para um segundo mandato de quatro anos em 2020.

E, neste contexto, a enquete Washington Post/ABC mostra que a aprovação de Trump caiu para 38%, de um teto de 44% em julho.

Embora 56% dos entrevistados avaliem que o estado da economia é "excelente", ou "bom", o percentual recuou em um ano, quando a percepção favorável era de 65%. Além disso, seis em cada dez americanos ouvidos nessa sondagem consideraram que uma recessão era muito, ou algo provável, no ano que vem.

Trump denunciou essa última medição como "a pior e mais inexata de todas" desde as eleições de 2016. Com frequência, o presidente reclama das pesquisas desfavoráveis a seu governo.

"Uma das maiores e mais poderosas armas usadas pelos meios de comunicação falsos e corruptos é a informação de pesquisa fraudulenta que publicaram. Muitas destas pesquisas estão armadas", tuitou.

Segundo o Post/ABC, os eleitores se opõem profundamente à forma como Trump administrou a intensificação da guerra comercial com a China. Apenas 35% aprovam sua gestão, contra 56% que a desaprovam.

Outra descoberta que pode ser motivo de preocupação na Casa Branca: 43% dos entrevistados disseram que as políticas comerciais e econômicas dos Estados Unidos aumentaram as possibilidades de recessão no próximo ano, contra 16% que pensam que não.

"Não vejo recessão de maneira alguma", disse o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, à Fox Business na segunda-feira, insistindo em que a guerra comercial não teve qualquer impacto sobre a economia americana.

A pesquisa Post/ABC foi realizada entre 2 e 5 de setembro, com 1.003 entrevistados. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais, ou para menos.