Preocupado, líder de segurança da Uefa se demitiu em fevereiro

Confusão na entrada dos torcedores atrasou a partida entre Liverpool e Real Madrid. Foto: Nick Potts/PA Images via Getty Images
Confusão na entrada dos torcedores atrasou a partida entre Liverpool e Real Madrid. Foto: Nick Potts/PA Images via Getty Images

Preocupações sérias foram levantadas sobre o departamento de segurança e proteção da Uefa no início deste ano, quando um especialista em segurança inglês com décadas de experiência deixou o cargo de consultor do órgão máximo do futebol europeu.

Steve Frosdick, originalmente um policial metropolitano, dedicou sua carreira à segurança do estádio no futebol britânico e europeu desde a década de 1990 e possui várias qualificações profissionais avançadas. Ele se demitiu de sua consultoria na Uefa em fevereiro, após 11 anos em que foi contratado para aprimorar sua experiência, monitoramento de incidentes e programas de desenvolvimento e treinamento.

Leia também:

Ele disse ter ficado seriamente insatisfeito com a direção do departamento que desde o ano passado é chefiado por Zeljko Pavlica, um amigo próximo do presidente da Uefa, Aleksandr Ceferin. Frosdick acreditava que o profissionalismo, a experiência e o desenvolvimento da Uefa estavam sendo prejudicados e rejeitou uma proposta para revisar seu contrato, que teria rebaixado seu papel.

A demissão e as críticas de Frosdick ocorreram menos de quatro meses antes de sérios problemas de segurança afetarem os dois eventos finais da temporada da Uefa: a final da Liga Europa, onde os torcedores do Rangers reclamaram que não havia água no calor de Sevilha, e o terrível caos sofrido pelo Liverpool e adeptos do Real Madrid na final da Liga dos Campeões em Paris.

A revelação da saída de Frosdick aumenta as preocupações crescentes sobre a operação de segurança da Uefa e a percepção de clientelismo na nomeação de Pavlica, que a Uefa rejeita. Uma associação de torcedores do Liverpool, a Spirit of Shankly, representa os torcedores que sofreram atrasos excessivos, brutalidade policial e ataques violentos em Paris, renovou seus pedidos por uma investigação totalmente independente.

O departamento de segurança e proteção é responsável pela execução segura dos jogos da Uefa, incluindo finais, e tem um papel de liderança nos esforços para fortalecer as boas práticas de segurança no futebol europeu.

Pavlica, um ex-oficial de segurança de alto escalão em sua Eslovênia natal, foi nomeado para chefiar o departamento no ano passado após a aposentadoria em fevereiro de 2021 do chefe de departamento anterior por quatro anos, Kenny Scott.

Oficial de carreira de 30 anos na polícia de Strathclyde até o posto de superintendente-chefe, Scott foi então chefe de segurança do Rangers de 2007 a 2010 e ingressou na Uefa em tempo integral em 2017.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos