Sabine Boghici, presa por dar golpe na mãe, tem prisão convertida em preventiva

Sabine Boghici é acusada de ser a mentora de um grupo que extorquiu e ameaçou a própria mãe. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Sabine Boghici é acusada de ser a mentora de um grupo que extorquiu e ameaçou a própria mãe. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Sabine Coll Boghici, acusada de dar um golpe milionário na própria mãe, Geneviève Boghici, de 82 anos, teve a prisão temporária convertida em preventiva pela Justiça do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (6).

Sabine e outros cúmplices foram denunciados pelo Ministério Público estadual por "associação criminosa".

Diana Rosa Aparecida Stanesco Vuletic, Jacqueline Stanesco, Rosa Stanesco Nicolau, Slavko Vuletic e Gabriel Nicolau Traslaviña Hafliger, também envolvidos nos crimes contra a idosa também tiveram as prisões decretadas pela 23ª Vara Criminal.

A juíza Simone de Araujo Rolim, também autorizou a quebra de sigilo de dados telefônicos e telemáticos dos envolvidos. De acordo com a magistrada, a ordem tem como objetivo revelar o conteúdo dos celulares apreendidos com as acusadas.

Ainda na determinação da magistrada, consta que a partir da quebra, devem ser informados todos os contatos existentes nos aparelhos, fotografias registradas, ligações recebidas e feitas, registros de voz e de mensagens escritas, inclusive as do WhatsApp.

"(...) A quebra do sigilo de dados telefônicos requerida pelo Ministério Público, irá possibilitar a apuração dos fatos, sendo o meio mais eficaz para se identificar a localização dos bens subtraídos. Assim sendo, se verifica a imprescindibilidade da medida, uma vez que a investigação, através de seus meios ordinários, não logrou êxito em apurar o paradeiro das joias subtraídas", escreveu a juíza na decisão.

Além disso, a magistrada também acatou o pedido da promotora Anna Gabriella Ribeiro de Carvalho Gama, da 2ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Territorial Área Botafogo e Copacabana, para sequestrar bens imóveis e móveis dos envolvidos.

Por exemplo, na casa de Rosa Stanesco Nicolau, a Justiça indica que a polícia encontrou documentos que "demonstram a aquisição de diversos imóveis". Por isso, 11 imóveis nas zonas Sul e Oeste do Rio devem ser bloqueados pela ordem judicial. Veículos de luxo também serão recolhidos.

A quadrilha foi presa pela Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa de Terceira Idade (Deapti) em agosto deste ano, durante a "Operação Sol Poente".

Sabine, teria elaborado o golpe com a ajuda da companheira dela, Rosa Stanesco, também conhecida por Mãe Valéria de Oxóssi, e contando com a ajuda de parte da família de Stanesco.

O objetivo era ter acesso a bens e obras de arte da herança do colecionador e marchand Jean Bochici, morto em 2015, cujo espólio é disputado na Justiça com Geneviève.

De acordo com a polícia, Sabine passava informações sobre a mãe de 82 anos, e ajudou a arquitetar o plano para desviar os bens da idosa.