Presidência da Câmara: partido de Maia racha após deputado citar 'traição' em grupo de WhatsApp

Paulo Cappelli
·2 minuto de leitura
Gustavo Lima / Agência O Globo

BRASÍLIA - Partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), o DEM está rachado na eleição para o comando da Casa, que ocorrerá em fevereiro. Pré-candidato da legenda, Elmar Nascimento (BA) enviou uma mensagem por WhatsApp, no grupo de deputados do DEM, na qual se diz "traído inexplicavelmente" por quem considerava "seu melhor amigo". A mensagem é uma indireta a Rodrigo Maia, após o atual presidente da Câmara afirmar publicamente que Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Baleia Rossi (MDB-SP) são os principais nomes em análise para o pleito. O conteúdo foi divulgado pelo " Estadão" e confirmado pelo GLOBO.

"Apesar de tudo isso (apoios que Elmar havia costurado com diferentes partidos), meu nome vem sendo 'estranhamente' relegado. Fui traído inexplicavelmente por quem eu considerava meu melhor amigo. Quem eu mais confiava. Quem eu mais acreditava. Quem sempre segui cegamente em tudo", escreveu Elmar Nascimento no grupo de WhatsApp.

Procurado pela reportagem, Nascimento, que está internado em São Paulo para o tratamento de Covid-19, limitou-se a dizer:

— Vou tratar de política quando sair do hospital.

Líder do DEM na Câmara, Efraim Filho (PB) afirmou que o trauma já está superado.

— Foi um desabafo que ele fez na terça-feira. Mas já terminamos a semana buscando sintonia. Reduzimos a temperatura interna e já está recomposto. Não há risco de racha no partido. Foi um fato isolado. Falei com Maia, que disse que isso é fruto da tensão do processo eleitoral, da escolha do candidato. Acho que, como o DEM tem no Senado a candidatura do Rodrigo Pacheco (MG), que se consolida com muita força, fica difícil empinar candidatura do DEM também na Câmara. O Elmar aborveu esse argumento — disse Efraim Filho.

O deputado Arthur Maia (DEM-BA), porém, afirmou que o fato "está longe de ser superado" pela bancada.

— Com todo respeito ao líder, o assunto está apenas começando. A bancada do DEM e eu jamais fomos chamados para discutir o nome à presidência da Câmara. E o sentimento da bancada, que me parece majoritário, é o de não acompanhar o indicado do Rodrigo Maia. Se o nome não for o do Elmar, e sem discutir no partido, não há a menor chance de apoio majoritário da bancada do DEM. A condução do Rodrigo tem sido lastimável. Ele pensou o tempo inteiro na própria reeleição, e, até agora, não temos nenhum candidato. Não vai ser um nome que Rodrigo tirar do paletó que vai se tornar consenso no DEM — disse Arthur Maia.

O principal adversário do bloco de Rodrigo Maia é o candidato Arthur Lira (PP-AL), que tem o apoio do presidente Jair Bolsonaro.