Presidência não solicitou transferência do desfile militar para Copacabana

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro se reúnem em Copacabana, no Rio de Janeiro, no dia 7 de setembro de 2021.  (Foto: AP Photo/Renato Spyroo)
Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro se reúnem em Copacabana, no Rio de Janeiro, no dia 7 de setembro de 2021. (Foto: AP Photo/Renato Spyroo)

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), afirmou em suas redes sociais que não recebeu nenhum pedido das Forças Armadas para transferir o desfile de 7 de Setembro da Avenida Presidente Vargas, onde ocorre há anos, para a praia de Copacabana.

Postagem do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes a respeito do local onde o desfile militar do 7 de setembro irá ocorrer. (Reprodução/Redes Sociais)
Postagem do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes a respeito do local onde o desfile militar do 7 de setembro irá ocorrer. (Reprodução/Redes Sociais)

Em entrevista ao jornalista Chico Alves, do Uol, Paes também disse que nem mesmo a Presidência da República solicitou a mudança do local.

A informação do prefeito contradiz o que tem dito o presidente Jair Bolsonaro (PL) que por duas vezes nos últimos dias, anunciou que a parada militar da Independência seria transferida do Centro para a zona Sul.

Na última quarta-feira (3), a prefeitura do Rio publicou edital no Diário Oficial do Município, estabelecendo o centro da cidade como local do desfile.

A montagem da parada requer a aquisição de diversas estruturas de metal, toldos, arquibancadas, tribunas - além de grades e sonorização, cujo custo é avaliado em R$ 318 mil.

Anteriormente, Paes havia se disposto a ouvir a proposta do governo federal, mas já havia explicado que o evento demanda uma "logística bastante complexa".

Na tarde deste sábado, durante participação na Marcha para Jesus em Recife (PE), Bolsonaro declarou que estará em Copacabana para um ato no dia 7 de setembro.

"Temos algo tão ou mais importante que a própria vida, que é a nossa liberdade. E a grande demonstração disso eu peço a vocês que seja explicitada no próximo dia 7 de setembro. Estarei às 10h da manhã em Brasília num grande desfile militar e, às 16h, em Copacabana no Rio de Janeiro", afirmou.

Bolsonaro tem predileção por Copacabana porque é o local onde ele costuma reunir seus apoiadores em diferentes datas. Ele tem convocado seus eleitores para participar das manifestações no Dia da Independência por todo o país.