Presidente alemão pede 'mais cooperação' diante da pandemia, como em 1945

·1 minuto de leitura
O presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, discursa na celebração do 75º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial, no memorial Neue Wache, em Berlim
O presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, discursa na celebração do 75º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial, no memorial Neue Wache, em Berlim

O presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, pediu nesta sexta-feira (08) à comunidade internacional que tomem como exemplo o fim da Segunda Guerra Mundial, para que haja "mais cooperação" no combate à pandemia de coronavírus.

"Não podemos aceitar que a ordem e a paz" estabelecidas a partir de 1945 "evaporem diante de nossos olhos", afirmou o presidente em seu discurso pela comemoração do 75º aniversário do fim do conflito. "Queremos mais e não menos cooperação no mundo, inclusive no combate à pandemia".

O chefe de Estado alemão também pediu a seus compatriotas que considerem o 8 de maio de 1945 como um dia de "gratidão" e não de amargura pela derrota e sofrimento após os bombardeios dos aliados ou da perda de territórios.

"Hoje, os alemães podem dizer: o dia da libertação é um dia de gratidão!", declarou. "Foram necessárias três gerações para conseguir dizer de todo o coração".

Steinmeier referia-se a outro discurso emitido por um de seus antecessores, Richard von Weizsäcker, e que entrou para a história.

Em 1985, no 40º aniversário do fim da guerra, Richard von Weizsäcker falou pela primeira vez de um "dia da libertação" para a Alemanha, rompendo com o sentimento de derrota que ainda reinava na sociedade.