Presidente argelino retorna à Alemanha para tratar possível sequela de covid-19

·1 minuto de leitura
O presidente argelino Abdelmadjid Tebboune voltou à Alemanha para tratar sequelas da covid-19

O presidente da Argélia, Abdelmadjid Tebboune, retornou à Alemanha no domingo para tratar complicações em um dos pés após a recente infecção pela covid-19, anunciou a emissora pública do país.

Esse retorno à Alemanha ocorre menos de duas semanas após uma primeira estada no país europeu que o manteve afastado da Argélia por dois meses.

Nenhuma previsão foi fornecida sobre quanto tempo Tebboune ficará na Alemanha desta vez.

Tebboune, de 75 anos, viajou de Berlim à capital argelina em 29 de dezembro, após um período de hospitalização e convalescença, depois de contrair o coronavírus em outubro passado em Argel.

A televisão oficial transmitiu imagens do chefe de Estado no salão de honra do aeroporto militar de Bufarik, perto da capital argelina, onde foi recebido por altos funcionários do Estado antes de embarcar para Berlim.

Segundo a emissora, Tebboune deveria ter feito estes tratamentos nos pés antes de regressar à Argélia, mas, como não eram peremptórios, foram adiados devido a compromissos relacionados a "assuntos urgentes" em seu país.

O chefe de Estado argelino teve de retornar a Argel para assinar a lei de finanças para 2021 antes de 31 de dezembro e promulgar a revisão da Constituição decidida por referendo em 1º de novembro.

abh-agr/feb/age/am