Presidente colombiano pede que América Latina se una contra a guerra às drogas

O presidente da Colômbia, Gustavo Petro, discursa na Assembleia Geral da ONU, em Nova York.

(Reuters) - O presidente colombiano, Gustavo Petro, pediu aos países latino-americanos que unam forças para acabar com a guerra às drogas, durante um discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas em Nova York nesta terça-feira.

Petro, o primeiro presidente de esquerda a ser eleito na Colômbia, há muito tempo classifica a guerra global contra as drogas como um fracasso, e chegou a usar seu discurso de posse em agosto para pedir uma nova estratégia internacional para combater o narcotráfico.

"De minha América Latina ferida, exijo que vocês acabem com a guerra irracional contra as drogas", disse Petro, enquanto conclamou à comunidade latino-americana em geral a se unir para derrotar aquilo "que atormenta nosso corpo".

O narcotráfico e a guerra às drogas são os principais contribuintes para o conflito armado na Colômbia, de acordo com um relatório da comissão da verdade do país, que foi estabelecida como parte de um acordo de paz de 2016 com os agora desmobilizados guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, as Farc.

O país sul-americano, considerado o maior produtor mundial de cocaína, sofre pressão frequente de seu principal aliado, os Estados Unidos, para reduzir a produção da substância.

(Reportagem de Oliver Griffin)

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS PB