Presidente do Congresso fala em 44 presos e agradece Polícia Legislativa

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.12.2022 - O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.12.2022 - O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou nesta segunda (9) que 44 pessoas foram presas em flagrante neste domingo (8) pela Polícia Legislativa, e estão sendo levadas ao complexo penitenciário do Distrito Federal. O grupo dormiu no Senado.

Os vândalos, segundo ele, estavam com machadinhas, facões, porretes e estilingues com esferas de aço. Rodrigo Pacheco agradeceu aos policiais legislativos, que são responsáveis pela segurança do Congresso Nacional -e subordinados ao Parlamento.

"Registro aqui o trabalho das polícias legislativas, órgãos responsáveis pela segurança do Congresso Nacional, que realizaram 44 prisões em flagrante de criminosos que protagonizaram atos antidemocráticos e cenas de selvageria em Brasília", afirmou.

"Todos os detidos foram encaminhados para o complexo penitenciário da Papuda, no Distrito Federal. Com eles, os policiais encontraram machadinhas, facões, porretes e estilingues com esferas de aço usados para atacar os policiais", completou o presidente do Congresso pelas redes sociais.

Líderes avaliam que o trabalho da Polícia Legislativa foi fundamental para conter os estragos no prédio e impedir que o grupo chegasse aos gabinetes dos senadores. Segundo a direção do Senado, a informação preliminar é de que apenas o gabinete do senador José Serra (PSDB-SP) foi danificado.

Servidora do Museu da Câmara dos Deputados mostra pedaço de presente enviado ao Congresso brasileiro pelo Sudão. Ovo ficava na galeria de presentes, no No Senado, os golpistas deixaram um rastro de destruição pelo plenário e pelo Salão Azul. A porta principal do plenário, de vidro, foi estilhaçada. Janelas foram quebradas e vidros espelhados também foram destruídos. O grupo também vandalizou as bandeiras das unidades da federação que ficavam expostas.

O prédio foi liberado para a entrada da imprensa na manhã desta segunda após perícia da PF (Polícia Federal). O local passou por varreduras desde a saída dos vândalos, mas a reportagem testemunhou o momento em que policiais pediram para que as pessoas avisem caso encontrem alguma granada no local.