Presidente do Conselho de Ética prevê votação de caso Silveira em até 60 dias

FÁBIO ZANINI
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Juscelino Filho (DEM-MA) prevê a votação de um parecer final para o caso de Daniel Silveira (PSL-RJ) em até 60 dias. O parlamentar foi preso em flagrante na terça-feira (16) por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal). Juscelino Fliho diz que no momento não quer se alongar em comentários porque conduzirá o processo no conselho, mas mostra contrariedade com as atitudes de Silveira. "É um caso bem delicado, mobilizou bastante Congresso, Supremo, a sociedade como um todo. Todos nós temos que ser responsáveis pelo que dizemos e fazemos. Ainda mais os parlamentares. Não podemos confundir imunidade com impunidade. Temos que delimitar até onde vai a imunidade parlamentar", diz Juscelino. Ele pretende chamar a primeira reunião do conselho para terça-feira (23), com o caso de Silveira como prioridade. "Designando um relator na terça-feira, Damos até dez dias úteis para defesa. Depois de apresentada a defesa, até 40 dias úteis de instrução probatória. Tudo bem rápido, sem contratempos, prevejo de 50 a 60 dias corridos para a votação do parecer final", diz o presidente. O mandato de Juscelino e dos demais membros dura até a próxima eleição do conselho, que está prevista para meados de março. Caso sejam substituídos de fato no mês que vem, diz, a conclusão do processo se dará pelas mãos do próximo conselho. Membro do DEM, Juscelino diz que tocará a presidência com "total isenção". "A atuação do conselho é totalmente independente, todos os membros são eleitos justamente para tirar essa influência do partido". Acusado de adesismo após a disputa pela presidência da Câmara vencida por Arthur Lira (PP-AL), o DEM terá papel central na definição do futuro de Daniel Silveira, já que além de Juscelino ser presidente do conselho, Alexandre Leite (DEM-SP) poderá ser o relator do processo caso o PSL opte pelo aditamento em representação que existe contra Silveira (uma via para que o processo seja agilizado). O deputado é filho de Milton Leite, presidente da Câmara Municipal de São Paulo e aliado de João Doria (PSDB-SP).