Com mediação do Unicef, 207 crianças-soldado são libertadas no Sudão do Sul

Cairo, 18 abr (EFE).- Um grupo de 207 crianças-soldado foi libertado no Sudão do Sul em virtude de um acordo alcançado com a mediação do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), informou nesta quarta-feira esta organização internacional.

Os menores, 112 meninos e 95 meninas, foram postos em liberdade ontem por grupos armados pró-governo e rebeldes na comunidade rural de Bakiwiri, no estado de Equatória Ocidental, no sudoeste do país, indicou o Unicef em comunicado.

Este é o segundo grupo de crianças-soldado libertado neste ano, depois da libertação de 300 menores em fevereiro na cidade de Yambio, na mesma região.

O Unicef espera que nos próximos meses um total de 1.000 crianças sejam libertadas através deste programa, que prevê a reinserção dos menores na sociedade.

"Nenhuma criança deveria ter que pegar em uma arma nem combater", disse o representante de Unicef no país, Mahimbo Mdoe.

Durante a cerimônia de libertação, as crianças foram formalmente desarmadas e receberam roupas civis.

Em breve, está previsto que passem por exames médicos e tenham apoio psicológico como parte do programa de reintegração implementado pelo Unicef e seus parceiros.

Quando as crianças retornarem a suas casas, suas famílias terão direito a três meses de assistência alimentícia para apoiar sua reintegração inicial.

As crianças também receberão formação profissional destinada a melhorar a renda familiar e a segurança alimentar, a fim de evitar que voltem a ser capturadas por grupos armados.

O Unicef calcula que ainda há cerca de 19 mil crianças-soldado no Sudão do Sul, tanto em grupos favoráveis às autoridades como nos insurgentes.

Além disso, o escritório do Unicef no Sudão do Sul indicou que serão necessários US$ 45 milhões nos próximos três anos para apoiar a libertação, a desmobilização e a reintegração destas 19 mil crianças. EFE