Presidente da Aprosoja nega acusações de apoiar violência política

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), Antonio Galvan, negou nesta quinta-feira as acusações de incitar atos violentos para as manifestações marcadas para 7 de setembro, no Dia da Independência, e disse que não renunciaria ao cargo.

Galvan, cuja casa em Sinop (MT) foi alvo de buscas na semana passada pela Polícia Federal, disse que a investigação diz respeito a ele pessoalmente e não à entidade, que representa 240 mil produtores de soja no Brasil.

(Por Ana Mano)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos