Presidente da Argentina é indiciado por participar de festa clandestina na quarentena

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Vazamento de foto da festa prejudicou o presidente - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Vazamento de foto da festa prejudicou o presidente - Foto: Reprodução/Redes Sociais
  • Alberto Fernández comemorou aniversário da esposa em festa na residência presidencial no ano passado

  • Na ocasião, o próprio governo havia decretado medidas rígidas de isolamento social contra a Covid-19

  • A promotoria argentina indiciou o presidente e analisará se ele violou o código penal do país

Presidente da Argentina, Alberto Fernández foi indiciado nesta sexta-feira por quebrar o decreto de quarentena, imposto pelo próprio governo, e participar de festa clandestina durante o combate à pandemia de Covid-19.

O episódio aconteceu no ano passado, mais precisamente em julho. No dia 14, Fernández comemorou o aniversário da esposa, Fabiola Yáñez, na residência presidencial, em meio às restrições a aglomerações em todo o país.

Leia também:

O caso só se tornou público recentemente, com o vazamento de fotos do evento. Fernández e a primeira-dama aparecem ao lado de amigos em um evento que contou com pelo menos 13 pessoas.

A revelação da festa transformou-se em escândalo e Fernández foi duramente criticado, uma vez que ele próprio havia decretado medidas mais restritivas de isolamento.

A pressão sobre o presidente ficou ainda maior depois do pedido de desculpas protagonizado por ele. Isso porque Fernández pareceu culpar apenas Yáñez pelo ocorrido.

Alberto Fernández vem sendo pressionado após a revelação da festa (Antoine Gyori/Corbis via Getty Images)
Alberto Fernández vem sendo pressionado após a revelação da festa (Antoine Gyori/Corbis via Getty Images)

“Lamento o que aconteceu. Não vai acontecer de novo. Fabiola convocou uma reunião para um brinde com os amigos, que não deveria ter feito. Definitivamente, percebo que não deveria ter feito”, declarou.

A oposição chegou a pedir o impeachment do presidente, que, na última quinta-feira, participou de audiência e ofereceu doar metade de seu salário pelos próximos quatro meses a um instituto de pesquisas.

Violação de Código Penal

Além de Fernández, Yáñez e todos os convidados presentes foram indiciados por violação do decreto presidencial.

A investigação determinará se eles violaram o artigo 205 do Código Penal Argentino, que prevê prisão de seis meses a dois anos a quem “violar as medidas adotadas pelas autoridades competentes para impedir a introdução ou propagação de uma epidemia”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos