Presidente da Biblioteca Nacional, Helena Severo coloca cargo à disposição

Após três anos à frente da fundação, Helena Severo deixa o cargo: perplexidade

RIO — A presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Helena Severo, enviou, nesta sexta-feira, uma carta ao secretário Especial da Cultura, Roberto Alvim, na qual coloca seu cargo à disposição. Ontem, Alvim deu seguimento à série de mudanças na área cultural do governo com o anúncio da troca de comando da fundação. Para o lugar de Helena já foi escolhido Rafael Alves da Silva, que se apresenta como Rafael Nogueira, um seguidor de Olavo de Carvalho. A alteração deve ser oficializada no Diário Oficial nos próximos dias.

"Foi para mim motivo de perplexidade, ter tomado conhecimento de minha substituição através da imprensa, sem qualquer comunicação dos órgãos competentes, como manda o protocolo", diz Helena em um trecho da carta.

Servidora de carreira da União há 30 anos, ela já foi secretária Municipal de Cultura do Rio e ex-presidente da Fundação Theatro Municipal. Em agosto de 2016, no governo de Michel Temer, assumiu a Biblioteca Nacional, anunciada pelo então ministro da Cultura Marcelo Calero, hoje deputado federal.

"Esclareço que entendo perfeitamente que todos os governos têm direito de formar suas equipes de acordo com suas orientações políticas e programáticas. Entretanto, não posso concordar com a forma desrespeitosa com que esse processo de mudança vem sendo conduzido", segue Helena em seu comunicado, informando também a saída da historiadora Maria Eduarda Marques, Diretora Executiva da Biblioteca Nacional.