Presidente da China parabeniza Lula e expressa desejo de 'elevar' parceria estratégica

O presidente da China, Xi Jinping, enviou nesta segunda-feira uma mensagem ao presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, dizendo estar disposto a trabalhar em conjunto para "elevar" a parceria estratégica entre os dois países. Xi parabenizou o petista pela vitória no segundo turno, ressaltando os "amplos interesses e responsabilidades comuns" compartilhadas por ambos países.

“A China e o Brasil, principais países em desenvolvimento e importantes nações emergentes, compartilham amplos interesses e responsabilidades comuns”, destacou o líder chinês. "Atribuo grande importância ao desenvolvimento das relações sino-brasileiras e estou disposto a trabalhar junto com o presidente eleito para elevar, a partir de uma visão estratégica de longo prazo, a parceria estratégica global China-Brasil, com benefícios aos dois países e povos."

Segundo o presidente da China, desde que os dois países estabeleceram laços diplomáticos, há 48 anos, as relações bilaterais não param de avançar. Ele enfatizou que houve esforços conjuntos dos dois países e setores das sociedades para que isso pudesse acontecer.

“As relações bilaterais testemunharam um desenvolvimento duradouro com cooperação em diversos campos e resultados frutíferos.”

O relacionamento entre Brasil e China é classificado como uma parceria estratégica desde os anos 1990, após uma aproximação que se estreitou com a redemocratização brasileira e o fim da Guerra Fria. Os laços, contudo, foram conturbados durante os dois primeiros anos do mandato de Jair Bolsonaro.

Um dos pontos mais baixos veio após uma declaração do deputado federal reeleito Eduardo Bolsonaro responsabilizar a China pela disseminação global do coronavírus, acusando Pequim de ter propositalmente escondido o vírus, comparando a resposta oficial chinesa com a soviética após o desastre nuclear de Chernobyl.

Em resposta, o então embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, disse que manifestou veemente repúdio a uma declaração do deputado, chegando a dizer que o deputado "contraiu um vírus mental" em Miami. Eduardo Bolsonaro havia viajado à Flórida dias antes com seu pai, onde participou de um encontro com o então presidente americano Donald Trump.

Há cerca de dez dias, o governo brasileiro concedeu o agrément (termo que significa consentimento, em linguagem diplomática) para o novo embaixador da chinês em Brasília. O escolhido por Pequim é Zhu Qingqiao, atualmente à frente da embaixada chinesa no México.