Presidente da Confederação Suíça reconhece erros na gestão da covid-19

·1 minuto de leitura
Estação de esqui de Verbier, na Suíça, em 22 de dezembro de 2020

O novo presidente da Confederação Suíça, Guy Parmelin, reconheceu erros na gestão da pandemia da covid-19, em entrevista concedida neste domingo (3) ao jornal dominical SonntagsBlick.

"Entre julho e setembro, subestimamos a situação", disse ele ao jornal.

"Achávamos que poderíamos controlar o vírus", mas "estávamos longe" de conseguir isso, admite Parmelin.

Ele assumiu o cargo de presidente em 1º de janeiro, mas, como conselheiro federal de Economia, desempenhou um papel importante na gestão da crise sanitária há um ano.

Parmelin mantém esta pasta ministerial durante seu mandato presidencial, de um ano.

A Suíça viveu uma primeira onda da pandemia relativamente moderada em comparação com a sofrida por seus vizinhos europeus. Deste o outono boreal (primavera no Brasil), porém, o país sofre uma forte segunda onda.

Há semanas, este país alpino de 8,6 milhões de habitantes registra mais de 4.000 novos casos de contágio diários e 100 mortes por dia.

A vacinação começou em vários cantões do país, mas em um ritmo lento.

Na Suíça, assim como em outras partes da Europa, a variante britânica - mais contagiosa - do novo coronavírus foi detectada pelo menos cinco vezes.

Membro do partido de direita UDC, Parmelin destacou que a coordenação com os cantões, que assumem o essencial da gestão da crise de saúde, "nem sempre é fácil" e que o Executivo federal teve de assumir responsabilidades de coordenar a luta contra a doença.

vog/me/pc/tt