Presidente da Federação Francesa, Noel Le Graet é afastado por denúncias de assédio sexual

Presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF) desde 2011, Noël Le Graët foi afastado do cargo. O dirigente é investigado por denúncias de assédio sexual e sua saída foi definida nesta quarta-feira após uma reunião emergencial do comitê executivo da entidade. Em comunicado oficial, a FFF diz que o dirigente optou por se afastar após a reunião.

Além do presidente, também sai o gerente geral da Federação, Florence Hardouin. Ele foi demitido do cargo "por precaução", segundo a nota.

Le Graët, de 81 anos, foi acusado pela agente esportiva Sonia Souid, de 37, de conduta imprópria. Em entrevista ao mesmo jornal francês, a empresária contou que tentou construir uma relação profissional para a promoção do futebol feminino no país entre 2013 e 2017, mas o dirigente apenas fazia investidas de cunho sexual nas conversas. Segundo Souid, Le Graët deixava mensagens indesejadas durante a madrugada convidando-a para encontros.

A empresária revelou que Le Graët mandava mensagens falando que "estava com saudades" e, apesar de nunca ter mencionado explicitamente, deixou claro que ela deveria dormir com ele para conseguir ser ouvida. "Ele nunca me viu como uma agente, mas sim como um doce", afirmou Souid, que pensou em encerrar a carreira.

Philippe Diallo, vice-presidente da federação, assume o cargo interinamente. A Federação Francesa já vinha sendo investigada a pedido da ministra do Esporte da França, Amélie Oudea-Castera, desde setembro do ano passado. Naquela ocasião, uma reportagem da revista "So Foot" publicou várias denúncias de assédio de funcionárias contra Le Graët, a maioria feita por mensagens.

Confira o comunicado da Federação Francesa:

Após reunião do Comitê Executivo da FFF, reunido hoje em Paris, Noël Le Graët optou por retirar-se de suas funções como presidente da Federação até a comunicação final de auditoria realizada pelo Ministério do Esporte e sua análise pelo comitê.

O comitê também decidiu demitir Florence Hardouin, gerente geral da FFF, como medida de precaução.

A partir de hoje, Philippe Diallo, vice-presidente adjunto da FFF, será o responsável interino nestas duas funções.

Por fim, o Comitê Executivo, informado dos termos da prorrogação do contrato de Didier Deschamps à frente da equipe francesa até 2026, validou-a por unanimidade.

Nos últimos dias, Le Graëtsofreu fortes críticas após declarações de desprezo a Zinedine Zidane, ícone francês cotado a treinar a seleção do país. Após renovar o contrato de Didier Deschamps para o ciclo até a Copa do Mundo de 2026, ele foi perguntado pela rádio RMC Sports sobre a possibilidade de ver o ex-camisa 10 em uma seleção.

— Ele faz o que quiser, não é da minha conta. Nunca me reuni com ele nem considerei despedir Didier. Ele vai para onde quiser, pode conseguir o que quiser na Europa, um grande clube. Mas uma seleção é difícil de acreditar.

As declarações foram alvos de críticas pesadas no país. Até o camisa 10 da seleção, Kylian Mbappé, deixou recado em suas redes (sem citar o nome do dirigente): "Zidane é França. Não desrespeitamos uma lenda desse jeito".