Presidente da Rede Mundial de Justiça Eleitoral vem monitorar eleições brasileiras

***ARQUIVO*** BRASILIA, DF,  BRASIL,  12-05-2022 - O ministro Edson Fachin, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASILIA, DF, BRASIL, 12-05-2022 - O ministro Edson Fachin, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Rede Mundial de Justiça Eleitoral, o indonésio Rahmat Bagja, confirmou participação como observador internacional das eleições brasileiras em outubro.

Por meio de um comunicado enviado pelo secretário técnico da Rede, Alberto Guevara, Bagia afirmou apoiar a iniciativa e estar ansioso em colaborar com a missão.

O convite a Bagja faz parte do esforço do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, de encontrar suporte em outras instituições para legitimar o processo de votação do Brasil.

Outras instituições já confirmaram a participação como observadores internacionais, entre elas, a Organização dos Estados Americanos (OEA), a Comunidade de Países da Língua Portuguesa, o Parlasul e o Carter Center.

O TSE e e a segurança das urnas têm sido atacadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus apoiadores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos