Presidente da Turquia anuncia ataque terrestre iminente contra "terroristas" na Síria

Milícias sírias aliadas da Turquia estão em prontidão, a aguardar o início da ofensiva terrestre anunciada por Recep Tayyp Erdogan contra as forças curdas no norte da Síria.

Numa declaração proferida no nordeste do país, o Presidente turco afirmou que, "em breve, se Deus quiser”, as forças armadas turcas irão eliminar os "terroristas".

"Temos estado a sobrevoar os terroristas há alguns dias com os nossos aviões e drones. Se Deus quiser, vamos arrasa-los em breve com os nossos tanques, a artilharia e soldados", afirmou Recep Tayyp Erdogan.

A iminente ofensiva turca sucede-se aos ataques aéreos conduzidos no domingo contra as YPG, as unidades de proteção popular curdas, consideradas um grupo terrorista por Ancara.

Esses ataques aéreos, que fizeram dezenas de mortos de ambos os lados da fronteira, incluindo civis, foram justificados como resposta pelo atentado cometido na semana passada em Istambul.

A Rússia, que mantém tropas na Síria em apoio a Bashar al-Assad, pediu calma à Turquia.

"Apelamos a todas as partes para que se abstenham de dar passos que possam provocar o escalar do conflito na região. Isto pode revelar-se mesmo um boomerang e prejudicar ainda mais a segurança", avisou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

Os Estados Unidos, que têm vindo a apoiar as milícias curdas desde a guerra contra o Daesh, também apelaram à Turquia para aguentar, no entanto há muito que Ancara está ressentida com Washington pelo apoio a um grupo que vê como terrorista e Erdogan mostra-se decidido a voltar a atacar.