Presidente das Filipinas ordena envio de ajuda à população após tempestade Nalgae matar 45

Por Neil Jerome Morales

MANILA (Reuters) - O presidente das Filipinas, Ferdinand Marcos Jr., ordenou neste sábado a distribuição urgente de ajuda em uma província do sul do país, onde deslizamentos de terra foram desencadeados pela tempestade tropical Nalgae, que matou 45 pessoas até agora.

Chuvas e ventos fortes atingiram a capital das Filipinas, Manila, e áreas vizinhas durante a maior parte do sábado, quando a tempestade forçou dezenas de milhares de pessoas a deixar suas casas e interrompeu as viagens de feriados em grande parte do país.

Nalgae é o segundo ciclone mais mortal a atingir as Filipinas em 2022, e a agência de desastres registrou 45 mortes no país, principalmente na província de Maguindanao. Outras 33 pessoas ficaram feridas e 17 estão desaparecidas.

"Poderíamos ter feito melhor em Maguindanao em termos de preparação. As 40 mortes, com 10 pessoas desaparecidas lá, é um (número) um pouco alto demais", disse Marcos.

Ele ordenou a distribuição imediata de água potável e sistemas de purificação para a província e outras partes do sul das Filipinas gravemente afetadas.

Na região da capital do país, que inclui Manila e outras cidades, as inundações levaram as autoridades a suspender aulas e eventos esportivos.

As companhias aéreas cancelaram 116 voos domésticos e internacionais de e para a principal porta de entrada das Filipinas. Quase 7.500 passageiros e trabalhadores, e 107 embarcações, ficaram retidos nos portos do país, disse a guarda costeira.

O prefeito de Manila, Honey Lacuna-Pangan, ordenou no sábado o fechamento dos cemitérios da cidade, onde eram esperados milhões de visitantes durante o fim de semana prolongado do Dia de Todos os Santos.

O Nalgae manteve sua força, com ventos de até 95 quilômetros por hora e rajadas de até 115 km/h, enquanto cortava a ilha de Luzon e se dirigia para o Mar da China Meridional, disse a agência meteorológica estatal.

Outra depressão tropical que está ganhando força no Oceano Pacífico pode entrar em território filipino na terça-feira, acrescentou.

Quase 170.000 pessoas foram forçadas a deixar suas casas pela tempestade, e um número próximo de um terço delas estavam abrigadas em centros de evacuação, segundo dados do governo.

Marcos disse que a ajuda deve ser intensificada assim que a tempestade sair das áreas terrestres - o que deve ocorrer na manhã de domingo, de acordo com as últimas previsões.