Presidente de clube é preso por arquitetar assassinato de ex-esposa em Curitiba

·1 minuto de leitura
Ana foi executada em frente ao seu prédio, em Curitiba - Foto: Reprodução/Câmera de segurança
Ana foi executada em frente ao seu prédio, em Curitiba - Foto: Reprodução/Câmera de segurança
  • Wagner Cardeal foi preso suspeito de ordenar a execução da ex-esposa, Ana Paula Campestrini

  • Ele é presidente de um clube de Curitiba, o Sociedade Morgenau

  • Além do rapaz, o dirigente Marco Antônio Ramon foi detido, suspeito de efetuar os disparos

A Polícia Civil de Curitiba prendeu nesta quinta-feira Wagner Cardeal Organauskas. Ele é acusado de arquitetar o assassinato da ex-esposa Ana Paula Campestrini, executada a tiros dentro do próprio carro na última quarta.

Wagner é presidente de um clube da capital paranaense, o Sociedade Morgenau. A investigação policial concluiu que foi ele o responsável por mandar matar Ana Paula.

Leia também:

A motivação do homem seria uma disputa judicial pela guarda dos filhos, além dos bens da família. Wagner e Ana foram casados por 17 anos e estavam separados há quatro. Juntos, tiveram três filhos, atualmente com 17, 11 e nove anos.

Além de Wagner, a polícia prendeu um diretor do Sociedade Morgenau. Marco Antônio Ramon teria sido o responsável por disparar os 14 tiros que mataram Ana Paula.

Ana tinha 39 anos e deixa três filhos - Foto: Reprodução/Facebook
Ana tinha 39 anos e deixa três filhos - Foto: Reprodução/Facebook

Wagner e Marco prestariam depoimento ainda nesta quinta-feira. Na operação, a polícia apreendeu equipamentos eletrônicos e computadores dos suspeitos, que serão periciados.

Entenda o crime

Na última quarta, Ana Paula foi executada em frente ao prédio onde vivia, no Bairro Santa Cândida. Imagens de uma câmera de segurança mostram o momento em que a mulher embica o carro para entrar na garagem e é surpreendida por um motociclista, que dispara repetidamente contra ela.

De acordo com a investigação, Ana foi morta momentos depois de deixar o clube do qual seu ex-marido é presidente, onde esteve para fazer carteirinhas de acesso aos filhos. Ela foi seguida por todo o trajeto pela moto, que pertence a Marco, antes de ser assassinada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos