Presidente diz que La Liga investigará acusação de racismo contra Diakhaby: 'Pela reação, algo aconteceu'

O Globo
·2 minuto de leitura

Um dia após a equipe do Valencia deixar o campo após acusação de racismo contra zagueiro Diakhaby, o presidente de La Liga, Javier Tebas, garantiu que a já há um processo de investigação interna sobre o ocorrido. Em entrevista ao programa "#Vamos", da emissora de TV espanhola "Movistar", Tebas afirmou que a liga aguarda a análise de imagens do ocorrido.

— Como temos feito outras vezes com incidentes envolvendo racismo, como no caso de Iñaki Williams (Athletic de Bilbao), insultado pela torcida no estádio do Espanyol, nós abrimos um procedimento interno de investigação e temos que fazê-lo com vídeos e imagens da partida para verificar e esclarecer o que aconteceu naquele instante.

Na manhã desta segunda-feira, elenco, comissão técnica e o presidente do Valencia posaram com as palmas das mãos estendidas em um gesto de "basta" ao racismo. "Lutaremos até o fim para esclarecer o ocorrido, defender nosso jogador e erradicar o racismo", escreveu o clube, em comunicado.

Diakhaby se desentendeu com o zagueiro espanhol Juan Cala ainda durante o primeiro tempo da derrota de 2 a 1 do Valencia para o Cádiz, no último domingo. Após uma discussão, o francês disse ao árbitro que teria sido chamado de "negro de m..." pelo adversário. Diakhaby e seus colegas de Valencia deixaram o gramado por 20 minutos, mas acabaram retornando — sem o zagueiro, a pedido dele — para continuar a partida.

— Pela reação do jogador do Valencia, algo aconteceu. Desde já, vamos tentar esclarecer isso, porque em La Liga não permitimos e não queremos que haja nada de racismo. Acredito que sem público diminuiu bastante, mas não tem de haver insultos entre os jogadores. As versões são contraditórias, mas a conduta do jogador do Valencia... algo aconteceu — avaliou Tebas.

Em nota divulgada após a partida, o Cádiz se disse contra o racismo e a xenofobia, e afirmou confiar na honestidade de seu elenco. "São firmes defensores da luta contra o racismo, cuja atitude sempre foi exemplar em todas as partidas que disputaram", publicou. O clube informou que Juan Cala se posicionará nesta terça-feira, em entrevista coletiva após o treinamento da equipe.

Antes de entrar nas instalações do Cádiz, nesta segunda-feira, o espanhol afirmou a reportéres estar tranquilo e afirmou que "não se esconderá", pedindo presunção de inocência.