Conservadores vencem pleitos municipais finlandeses e populistas perdem apoio

Helsinque, 9 abr (EFE).- O partido conservador Kokoomus, do atual ministro de Finanças, Petteri Orpo, venceu as eleições municipais realizadas neste domingo na Finlândia, que certificam também o retrocesso da legenda populista Verdadeiros Finlandeses, tal como previam as pesquisas.

Com 97,3% das urnas apuradas, os conservadores se mantêm como a força política mais votada em pleitos locais ao obter 20,6% dos votos, apesar de perder 1,3 ponto em relação às municipais de 2012.

Em segundo lugar se situa o Partido Social Democrata (SDP), principal grupo da oposição, com 19,4% dos votos, dois décimos a menos que nas eleições anteriores.

O Partido de Centro, do primeiro-ministro Juha Sipilä, teve que se conformar com a terceira posição, apesar de ser atualmente a principal força política do país nórdico, ao obter 17,8% dos sufrágios, nove décimos a menos que em 2012.

No entanto, o grande perdedor nestas eleições foi o populista e ultranacionalista Verdadeiros Finlandeses, liderado pelo carismático Timo Soini, atual ministro de Exteriores, que caiu da quarta para a sexta posição, com 8,8% dos votos.

Os populistas perderam 3,5 pontos em relação aos pleitos municipais anteriores e praticamente metade dos votos em comparação com as parlamentares de 2015, quando se converteram na segunda força do país.

"Recebemos uma surra, mas sobrevivemos", disse Soini a seus correligionários após conhecer os resultados, e assumiu pessoalmente toda a responsabilidade da derrota.

Esta formação de tinturas ultradireitistas e xenófobas colheu seus piores resultados eleitorais desde 2008, devido principalmente ao descontentamento de seu eleitorado com o trabalho do partido após sua entrada no Executivo há dois anos, segundo os analistas.

"Os Verdadeiros Finlandeses fizeram muitas promessas nas últimas eleições parlamentares e, depois de entrar no governo, descumpriram todas", resumiu Paavo Arhinmäki, ex-líder da Aliança de Esquerda.

Por outro lado, os Verdes foram o partido que mais aumentou seu apoio popular, ao alcançar 12,3% dos votos, 3,8 pontos a mais que nas municipais anteriorss, o que lhes permitiu subir até a quarta posição.

Os habitantes de Helsinque votaram pela primeira vez de forma direta no prefeito da capital, cargo que será ocupado pelo candidato conservador Khan Vapaavuori, que atualmente é vice-presidente do Banco Europeu de Investimentos.

O índice de participação desses pleitos foi de 58,8%, similar ao de eleições municipais anteriores. EFE