Presidente do São Caetano se afasta por investigação policial

Manoel Sabino Neto repassou a gestão do São Caetano, mas se manteve como proprietário do Azulão. Foto: (Divulgação/São Caetano)
Manoel Sabino Neto repassou a gestão do São Caetano, mas se manteve como proprietário do Azulão. Foto: (Divulgação/São Caetano)

O São Caetano tem mudança em seu comando administrativo por conta de uma investigação iniciada pela Polícia Civil contra um suposto esquema de lavagem de dinheiro contra Manoel Sabino Neto, presidente e proprietário de 89% das ações do clube. A decisão de terceirizar a gestão foi tomada pelo próprio Sabino Neto, que decidiu se afastar do clube até que o processo seja concluído.

Em nota oficial publicada no site do clube e nos perfis oficiais das redes sociais, o São Caetano informou que: "O São Caetano Futebol vem por meio desta informar que a gestão administrativa e esportiva do time a partir do dia 01 de setembro de 2022 passa a ser de responsabilidade da empresa LGM Serviços de Escritório & Entretenimentos Ltda. A empresa se firmou no clube com o patrocínio master nos últimos meses e após contrato assinado com a atual diretoria assume a gestão do São Caetano Futebol, dando sequencia as suas atividades e compromissos esportivos.".

Leia também:

Leandro Mascarenhas assume como CEO do São Caetano, comandando 100% das gestões administrativa e esportiva, tendo autonomia total para que decisões sejam tomadas. Fábio Turnes, responsável pelo departamento jurídico da LGM comentou a tomada de gestão: "A LGM assume toda gestão do São Caetano, em um momento de absoluta reconstrução do futebol, objetivando o resgate 'moral' de um clube vencedor. O objetivo é de extrema reconstrução da imagem. Não há tempo fixado em contrato, há sim uma previsão, a de voltar à elite do futebol. O Sabino segue tentando resolver sua situação pessoal, tentando provar sua inocência frente a uma situação que lhe foi atribuída, porém, a gestão do futebol passa a ser exclusividade da LGM".

O clube social do São Caetano mantém Nairo Ferreira em sua presidência, algo que não tem relação alguma com o futebol profissional do Azulão. Nairo tem mais de 25 anos de gestão do clube e mais de três décadas como dirigente do São Caetano.