Presidente da Eurocâmara nega acusações de ingerência da UE em eleições britânicas

O presidente da Eurocâmara, Antonio Tajani, em Bruxelas, em 29 de abril de 2017

O presidente da Eurocâmara, Antonio Tajani, rejeitou nesta quinta-feiras as declarações da primeira-ministra britânica, Theresa May, que acusou na véspera a União Europeia de se intrometer nas eleições britânicas.

"Ninguém quer influenciar na campanha eleitoral britânica", disse em uma coletiva de imprensa em Bruxelas Tajani, para quem "não é um ataque" dizer que "ser membro da UE não é o mesmo que estar fora da UE". "Só dissemos que íamos defender nossos interesses", acrescentou.

Em um contexto impregnado por um Brexit cada vez mais tenso, a primeira-ministra britânica lançou na quarta-feira uma série de acusações contra a UE, denunciando que "políticos e funcionários europeus proferiram ameaças ao Reino Unido" de maneira deliberada "para afetar os resultados das eleições de 8 de junho".

May, que enfrenta nesta quinta-feira seu primeiro grande encontro eleitoral com comícios locais, surpreendeu a todos com a antecipação das eleições legislativas previstas para 2020 ao mês de junho com o objetivo de se reforçar antes das negociações de divórcio com a UE.

Suas declarações foram feitas horas depois da apresentação das recomendações da Comissão Europeia para estas negociações por parte do negociador europeu, Michel Barnier, que criticou o fato de alguns criarem a ilusão de que o Brexit poderia ser rápido ou indolor.

O executivo comunitário relativizou nesta quinta-feira as palavras da chefe do governo britânico, afirmando que ela as realizou em um contexto de campanha eleitoral e ressaltando que em Bruxelas eles têm muito trabalho para se concentrar nestas questões.

"Não somos ingênuos. Sabemos que há uma eleição no Reino Unido. As pessoas se emocionam sempre que há eleições", indicou em uma coletiva de imprensa o presidente do executivo comunitário, Margaritis Schinas.