Presidente do Irã afirma que "bola está com os EUA" sobre disputa nuclear

Parisa Hafezi
·1 minuto de leitura
Presidente do Irã, Hassan Rouhani

Por Parisa Hafezi

DUBAI (Reuters) - O presidente iraniano, Hassan Rouhani, defendeu nesta quarta-feira que o novo governo dos Estados Unidos retorne ao acordo nuclear de 2015 com a República Islâmica e suspenda as sanções contra Teerã, ao mesmo tempo em que saudou o fim da era de Donald Trump, a quem chamou de "tirano".

O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, que assume o cargo nesta quarta-feira, disse que os EUA voltarão ao pacto, que inclui restrições ao trabalho nuclear do Irã, se Teerã retomar o cumprimento rígido do que foi acertado.

"A bola está na quadra dos EUA agora. Se Washington voltar ao acordo nuclear de 2015 com o Irã, também respeitaremos totalmente nossos compromissos sob o pacto", afirmou Rouhani em uma reunião de gabinete transmitida pela televisão.

"Hoje, esperamos que a próxima administração dos EUA retorne ao Estado de Direito e se comprometa e, se puder, nos próximos quatro anos, remova todas as manchas dos quatro anos anteriores", disse ele.

As tensões aumentaram entre Teerã e Washington desde 2018, quando Trump retirou os EUA do acordo entre o Irã e seis potências mundiais que buscava limitar o programa nuclear de Teerã e impedir que desenvolvesse armas atômicas. Washington impôs sanções que afetaram gravemente a economia iraniana.

O Irã, que nega buscar armas nucleares, retaliou a política de "pressão máxima" de Trump quebrando gradualmente o acordo.

"A carreira política do tirano Trump e seu reinado ameaçador terminaram hoje e sua política de 'pressão máxima' sobre o Irã falhou completamente", disse Rouhani. "Trump está morto, mas o acordo nuclear ainda está vivo."