Presidente do México considera 'lamentável' eleição de presidente brasileiro do BID

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, chamou a eleição do brasileiro Ilan Goldfajn como presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) de "lamentável" nesta segunda-feira (21), observando que "é mais do mesmo".

"É lamentável que isso continue acontecendo, não há mudanças", disse López Obrador em sua habitual conferência matinal, depois que Goldfajn foi nomeado no domingo com 80% dos votos dos sócios do BID.

A eleição do brasileiro significou a derrota do candidato mexicano, Gerardo Esquivel, economista de esquerda que é vice-governador do banco central de seu país.

"Não há mudança na eleição do diretor do BID. É mais do mesmo. É o que tem sido aplicado ao longo do período neoliberal. Eles (os presidentes) concordam com a aprovação dos Estados Unidos", acrescentou López Obrador.

"Ele é um membro do grupo econômico financeiro muito ligado ao conservadorismo e, sobretudo, à política neoliberal promovida pelo governo dos Estados Unidos. (...) Não há esperança para os povos da América Latina e do Caribe", destacou, referindo-se também à Organização dos Estados Americanos (OEA) e ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

O poder de voto para eleger o chefe do BID varia de acordo com o número de ações de cada país. Os três principais contribuintes são os Estados Unidos (30% do capital), Brasil e Argentina (11,4% cada).

Após sua eleição, Goldfajn prometeu se concentrar no combate à pobreza e à mudança climática.

jg/axm/mr/aa/tt