Presidente do México enfrenta covid-19 'praticamente assintomático'

·2 minuto de leitura
O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, antes do jantar de trabalho na Casa Branca, em 8 de julho de 2020, em Washington, D.C.

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, "está praticamente assintomático", informou nesta quinta-feira (28) o vice-secretário da Saúde, Hugo López-Gatell, ao apresentar o boletim diário sobre o estado de saúde do mandatário, que testou positivo para a covid-19 no domingo passado.

"O presidente está praticamente assintomático e, além disso, está extremamente ativo", disse López-Gatell.

"Sua saúde é muito boa, está tranquilo, de bom humor, desejoso de voltar já a se reincorporar às suas atividades cotidianas", mas precisará "permanecer alguns dias mais em isolamento e relativo repouso", acrescentou.

A secretária do Governo (Interior), Olga Sánchez, que esta semana substitui o presidente nas coletivas de imprensa semanais, disse que López Obrador está "muito bem" e "no exercício de suas funções".

"Esperamos que cumpra seu período de isolamento da melhor forma possível, quando os especialistas derem sua aprovação, estará de volta", disse Sánchez.

A Secretaria de Saúde informou nesta quarta que o presidente havia apresentado breves "episódios de febrícula", mas "evolui positivamente".

"Recupera pouco a pouco seu vigor e sua saúde", tuitou Jesús Ramírez, porta-voz do governo.

López Obrador, de 67 anos, é hipertenso e sofreu um infarto em 2013. Ele completou o quinto dia em isolamento desde que começou a apresentar os sintomas da covid-19.

Na noite de domingo, o líder esquerdista afirmou que havia testado positivo para o coronavírus. No fim de semana, teve atividades públicas e viajou em voos comerciais.

Vários colaboradores, entre eles López-Gatell, estrategista da luta contra a pandemia, e o chanceler, Marcelo Ebrard, que estiveram em contato com o presidente nos últimos dias, fizeram exames para saber se contraíram o vírus.

O presidente mexicano foi criticado por relativizar a eficácia das máscaras para evitar os contágios. Só usou a indumentária em poucas ocasiões, como em julho passado, quando visitou o então presidente americano, Donald Trump, em Washington.

Apesar de o México ter começado a vacinar seu pessoal de saúde contra a covid-19 em 24 de dezembro, o presidente disse que esperará sua vez, prevista para março, como prevê o calendário oficial de vacinação.

O México somava nesta quinta-feira mais de 1,8 milhão de contágios e mais de 150.000 falecimentos por covid-19.

bur-jg/yow/mvv