Presidente do Metrô sai do cargo após posse de Tarcísio

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente do Metrô, Silvani Pereira, deixou o cargo nesta terça-feira (3), dois dias depois da posse do novo governador, Tarcísio de Freitas (Republicanos). Segundo a companhia, ele pediu desligamento e será substituído de forma interina pelo diretor de Finanção, Paulo Menezes de Figueiredo.

Pereira foi nomeado para chefiar o Metrô em janeiro de 2019, nos primeiros dias do governo João Doria (então no PSDB). Ele passou os quatro anos da gestão Doria-Garcia no cargo.

Antes disso, havia integrado cargos em empresas públicas e passado pela secretaria-executiva do Ministério das Cidades no governo Michel Temer (MDB).

A saída de Pereira ocorre mesmo com a permanência de Marco Antônio Assalve como secretários de Transportes Metropolitanos do estado -a pasta é a responsável pelo Metrô.

Assalve foi indicado pelo PP e nomeado em junho do ano passado, poucos meses após Rodrigo Garcia (PSDB) assumir o Palácio dos Bandeirantes.

Ele já foi presidente da EMTU (Empresa Metropolitana de Transporte Urbano), além de presidente da extinta CMTC (Companhia Municipal de Transportes Coletivos) e diretor de operações da SPTrans.

À época em que assumiu o Metrô, Pereira era réu em uma ação civil pública referente a supostas irregularidades que teriam ocorrido durante sua gestão à frente da Secretaria de Saúde do município da Serra, no Espírito Santo.

O Metrô, em nota, ressaltou que a substituição do presidente desligado pelo diretor de Finanças está prevista no estatuto da companhia e agradeceu a "estimável colaboração ao longo dos últimos quatro anos".

Até a publicação deste texto, o governo Tarcísio não havia comentado a saída de Pereira do cargo.