Presidente mexicano diz que pediu a Trump perdão para Assange e renova oferta de asilo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Julian Assange
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Donald Trump
    Donald Trump
    Empresário e político norte-americano, 45º presidente dos Estados Unidos

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse que buscou o perdão a Julian Assange do ex-presidente norte-americano Donald Trump antes de sua saída do cargo no ano passado, e repetiu sua proposta de asilo político para o fundador da WikiLeaks nesta segunda-feira.

No mês passado, o australiano Assange chegou mais perto de enfrentar acusações criminais nos Estados Unidos por um dos maiores vazamentos de informações confidenciais da história, depois que Washington ganhou um recurso por sua extradição em um tribunal inglês.

As autoridades norte-americanas acusam Assange de 18 delitos relacionados ao vazamento de documentos diplomáticos e militares dos EUA pela WikiLeaks, o que, segundo elas, teria colocado vidas em perigo.

López Obrador reiterou a oferta de asilo feita a Assange há um ano atrás, e disse que antes da saída de Trump da Presidência dos EUA em janeiro do ano passado, ele havia escrito uma carta recomendando o perdão a Assange.

O México não recebeu uma resposta à carta, segundo afirmou López Obrador em uma entrevista coletiva regular do governo.

"Seria um sinal de solidariedade, de fraternidade, permitir que Assange tenha asilo no país em que decidir viver, incluindo o México", afirmou o presidente mexicano.

(Reportagem de Dave Graham)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos