Presidente do partido de Bolsonaro diz que fundão não é suficiente e pede doações

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 28.01.2021 - O presidente do PL, Valdemar Costa Neto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 28.01.2021 - O presidente do PL, Valdemar Costa Neto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, disse em vídeo que os recursos públicos para financiamento de campanha do partido não são suficientes e fez um apelo para que as pessoas doem para as candidaturas da sigla —cujo principal filiado é o presidente Jair Bolsonaro.

"Se não tivermos doações, vamos passar aperto muito grande", afirmou Valdemar.

O vídeo gravado pelo presidente do partido foi uma prestação de contas das campanhas enviada, nesta terça-feira (6), aos filiados do PL.

O pedido do dirigente ocorre na véspera do feriado de 7 de Setembro, quando a militância bolsonarista estará mobilizada em atos de apoio ao presidente pelo país.

De acordo com Valdemar, somando os R$ 268 milhões do fundo eleitoral reservados para o PL com recursos economizados do fundo partidário, a sigla tem R$ 325 milhões em caixa para diferentes campanhas, entre elas as de deputado e governadores.

O problema, prossegue ele, é que o fundo eleitoral foi calculado com base na bancada eleita em 2018, que foi de 33 deputados. Com a entrada de Bolsonaro no partido, a quantidade de deputados saltou para 78, uma vez que diversos aliados migraram para a sigla.

"Pelo fundo atual, teríamos quase R$ 700 milhões. Olha a diferença, o que estamos passando, não conseguimos ter recurso para passar para deputados, governadores", lamentou.

O partido repassou R$ 10 milhões para a campanha de reeleição do presidente, valor muito inferior, por exemplo, à de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O petista, que lidera as pesquisas de intenção de voto, recebeu R$ 66,7 milhões da direção nacional do seu partido.

"Continuem trabalhando para receber doações. Dinheiro que vem do fundo não é suficiente. Temos que lutar para que tenhamos mais aportes, mais doações, para que possa dar uma margem de trabalho com segurança", pediu.