Presidente de petroleira russa morre ao cair de janela de hospital, dizem fontes

Presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente da Lukoil, Ravil Maganov, durante cerimônia em Moscou

MOSCOU (Reuters) - Ravil Maganov, presidente da segunda maior produtora de petróleo da Rússia, a Lukoil, morreu nesta quinta-feira depois de cair da janela de um hospital em Moscou, disseram duas fontes com conhecimento da situação, em mais um caso de um empresário russo a morrer subitamente e sob circunstâncias pouco claras.

As fontes confirmaram relatos de vários meios de comunicação russos de que o homem de 67 anos teria pulado e morrido, mas as circunstâncias em torno de sua queda não ficaram claras.

A agência de notícias estatal russa Tass informou que a morte foi um suicídio, citando uma fonte policial. A fonte disse que Maganov foi internado no hospital após sofrer um ataque cardíaco e que ele também estava tomando antidepressivos.

A Reuters não conseguiu confirmar esses detalhes. Três fontes disseram à Reuters que, com base em seu conhecimento próximo de Maganov, não acreditavam que ele teria se matado.

Outra fonte próxima à empresa disse que acredita-se dentro da administração da Lukoil que ele havia cometido suicídio, mas a fonte não viu evidências ou documentos que apoiem a hipótese.

A polícia de Moscou encaminhou perguntas da Reuters sobre a morte de Maganov ao Comitê de Investigação do Estado, que não respondeu a um pedido de comentário.

A Lukoil é uma empresa privada que concorre com a gigante estatal russa de energia Rosneft. A companhia disse em um comunicado que Maganov "faleceu após uma doença grave".

Pelo menos seis outros empresários russos, a maioria com vínculos com o setor de energia, morreram subitamente em circunstâncias pouco claras nos últimos meses.

(Reportagem da Reuters)