Presidente de Portugal defende vinda ao Brasil para 7 de Setembro e diz que viagem é questão de Estado​

FOLHAPRESS - O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, disse nesta terça-feira (6), que a sua vinda ao Brasil para a comemoração do Bicentenário da Independência não tem relação com a campanha eleitoral, e trata-se de uma questão de Estado.

"Não, são duas coisas completamente separadas", disse, ao ser questionado se não temia que sua viagem não fosse associada à campanha presidencial. "Era incompreensível que Portugal não estivesse representado ao mais alto nível naquele que é um momento histórico único na vida do Brasil e de Portugal".

As declarações de Rabelo ocorreram no Itamaraty, na noite desta terça, após uma recepção com coquetel feita pelo governo brasileiro em comemoração da data, com a participação dos chefes de Estado e representantes estrangeiros.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) teve reuniões bilaterais com os chefes de Estado antes do evento. Questionado sobre seu encontro com o brasileiro, Rabelo disse que não falaram sobre eleições. Ele afirmou ainda que abriu a conversa contando a história de dom Pedro 1º.

A cerimônia do Itamaraty ocorre na véspera dos atos em apoio ao chefe do Executivo, a menos de um mês das eleições.

O mandatário brasileiro deveria ter chegado ao ministério às 17h30, mas atrasou, porque decidiu fazer um passeio de helicóptero e visitar um dos acampamentos de apoiadores, no entorno de Brasília.

Além do próprio mandatário brasileiro, também participaram do evento no Itamaraty os presidentes Marcelo Rebelo de Sousa (Portugal), José Maria Neves (Cabo Verde), Umaro Sissoco Embaló (Guiné-Bissau); o secretário-executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), Zacarias Albano da Costa, e o ministro da Casa Civil, Constantino Alberto Bacelar.