Presidente do Previ-Rio é exonerado

Luiz Ernesto Magalhães
A Casa Civil informou que o pagamento estará na conta até o fim do expediente

RIO - Em meio à crise financeira da prefeitura, um dos mais antigos colaboradores da equipe do prefeito Marcelo Crivella foi exonerado. O servidor de carreira Rogério Louro deixou a presidência do Previ-Rio, que faz a gestão da previdência municipal. A saída de Louro foi comunicada ao servidor na tarde desta segunda. Seu substituto no cargo será Virgínio Vieira de Oliveira, que veio da subsecretaria de Meio Ambiente.

Procurado pelo GLOBO, o servidor não quis se manifestar. Louro deixou o cargo devido a uma série de divergências com a equipe do prefeito em relação a algumas estratégias do governo.

Entre os pontos de discordância entre Louro e a equipe de Crivella, estava a tentativa da prefeitura de aprovar uma espécie de "trem da alegria" que transformaria em estatutários 2440 funcionários da Comlurb. A receita por transferências das contribuições do INSS geraria mais de R$ 100 milhões de receitas para o tesouro por ano. Por outro lado, a medida aumentaria o déficit atuarial do Fundo de Previdência do Município (Funprevi) de 30,8 bilhões para R$ 31,2 bilhões. A diferença de R$ 424 milhões representaria um acréscimo de 1,38% do déficit atuarial do Funprevi. O projeto acabou não sendo aprovado.

Bruno também discordava de mudanças em estudo no formato atual do plano de saúde dos servidores. Fontes da prefeitura afirmam que essas mudanças são defendidas pelo ex-deputado Rodrigo Bethlem, que dá assessoria informal à Crivella.

Ontem à tarde, ao se despedir da equipe, Louro minimizou a exoneração:

- Sou servidor de carreira. Minha vida segue. Vou continuar trabalhando pelo Rio - disse ele.