Presidente do PT diz que irá procurar MDB e PSD para discutir transição

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que pretende procurar os presidentes do MDB, Baleia Rossi, e do PSD, Gilberto Kassab, para discutir a transição de governo. O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, começou nesta segunda-feira a tratar da formação de seu governo.

Entenda: Aliados de Lula esperam dificuldades com a transição

Antipetismo avança: Lula tem menos votos em 18 estados na comparação com 2002 e 2006

A dirigente petista ainda disse que a responsabilidade pelos bloqueios em estradas por caminhoneiros é do presidente Jair Bolsonaro (PL) e destacou que a transição de governo acontecerá independentemente da postura do atual mandatário.

— Vamos procurar a partir de hoje. Vou procurar o presidente Baleia, o presidente Kassab e presidente de outros partidos também — afirmou Gleisi.

A dirigente ainda revelou que na terça-feira haverá uma reunião com os partidos da coligação. O objetivo é tratar das pautas que tramitam no Congresso.

— Tem várias pautas tramitando no Congresso Nacional que são importantes para o Brasil e que nós precisamos discutir.

Sobre os bloqueios de estradas, Gleisi destacou que o movimento não tem motivações econômicas.

— Não são bloqueios que têm reivindicação econômica. São bloqueios políticos e estão causando prejuízo para o Brasil e para a população brasileira. Quero aqui dizer que quem preside o Brasil neste momento é Jair Messias Bolsonaro. A responsabilidade sobre isso é dele e dos órgãos que ele governa. Então, ele tem que resolver isso para não prejudicar a população

A dirigente petista ainda afirmou que não há definição sobre quem será indicado para coordenar o processo de transição. Indagada sobre a posição de Bolsonaro de não ter ainda se manifestado sobre a vitória de Lula, a petista respondeu:

— É ruim para o Brasil. Agora, nós temos uma legislação que diz respeito à transição, temos instituições sólidas no país e isso vai garantir que a gente faça a transição de governo, independentemente do presidente Bolsonaro.