Presidente do Quênia propõe diálogo com oposição para evitar violência

Nairóbi, 11 ago (EFE).- O presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, reeleito para um novo mandato, convidou nesta sexta-feira para um diálogo seu maior rival, Raila Odinga, que lhe acusa de ter manipulado os resultados das eleições, e lembrou aos cidadãos que "a violência não é necessária".

"Estamos preparados para o diálogo", assegurou Kenyatta em um discurso, após ser proclamado vencedor das eleições realizadas na terça-feira passada.

O governante queniano estendeu uma "mão amistosa" a seu rival e lhe instou a trabalhar em união "para continuar desenvolvendo este país".

Dirigindo-se aos cidadãos, acrescentou: "Sem importar em quem tenha votado, as eleições acabaram e seu vizinho seguirá sendo seu vizinho".

Hoje mesmo, representantes da opositora Super Aliança Nacional (NASA, na sigla em inglês), o partido de Odinga, qualificaram as eleições de "grande tragédia para o povo do Quênia" e destacaram que "recorrer aos tribunais" já não é uma opção.

Em 2007, Odinga também rejeitou os resultados das eleições que perdeu, o que deu origem uma onda de violência na qual morreram mais de 1.100 pessoas. EFE