Presidente do STF analisa retomar julgamento do marco temporal para terras indígenas ainda em 2021

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO**BRASILIA, DF,  BRASIL,  12-07-2021, O presidente do STF ministro Luiz Fux  (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO**BRASILIA, DF, BRASIL, 12-07-2021, O presidente do STF ministro Luiz Fux (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro Luiz Fux, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), analisa marcar ainda para este ano a retomada do julgamento que debate a validade da tese do marco temporal para demarcação de terras indígenas.

O caso começou a ser analisado pela corte em setembro, mas foi suspenso após pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes quando o placar estava em 1 a 1.

Moraes devolveu o processo nesta segunda (11) e agora Fux busca reorganizar a pauta do Supremo, que está toda definida até o final do ano, para tentar julgar o tema neste semestre.

A tese do marco temporal estabelece que indígenas só têm direito a terras que ocupavam ou estavam em disputa judicial até a data da promulgação da Constituição, em 5 de outubro de 1988.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos