Presidente do STF cobra Bolsonaro por referência a 'estado de sítio' em ação contra governadores entregue à Corte

Carolina Brígido
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, cobrou explicações do presidente da República Jair Bolsonaro sobre as referências a estado de sítio feitas pelo chefe do Executivo. Bolsonaro citou o estado de sítio em declarações públicas na noite de sexta-feira, na manhã de hoje e também na ação que apresentou no STF contra medidas restritivas impostas por governadores para combater a pandemia.

Fux ligou para Bolsonaro para saber se havia alguma intenção do governo de editar um ato tão grave como o estado de sítio. Segundo pessoas próximas que souberam da conversa, Bolsonaro assegurou que não tem intenção de adotar medidas que limite a liberdade dos brasileiros e que apenas fez referência ao estado de sítio por conta dos decretos dos governadores durante a pandemia. Para o presidente da República, os governadores não têm poder legal para impedir a circulação das pessoas e, por isso, ele entrou com ação no STF.

Leia: Acesse a íntegra da reportagem exclusiva para assinantes do Globo