Presidente do STF, Rosa Weber agradece Flávio Dino por colocar PF à disposição para investigar ataques a integrantes da Corte

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Rosa Weber, encaminhou um ofício agradecendo o ministro da Justiça, Flávio Dino, por ter colocado à disposição a Polícia Federal para investigar ataques a integrantes da Corte. A iniciativa de Dino, ex-magistrado, ocorreu após o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, ter sido hostilizado no aeroporto de Miami por um grupo de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro. No documento encaminhado a Dino, Rosa ainda afirma que o ofício da Justiça será transmitido "aos demais juízes da casa". No episódio envolvendo Barroso, um vídeo mostra passageiros gritando “sai do voo”. Na gravação também é possível ouvir vaias e algumas pessoas xingando o ministro, além de gritar coisas como “pede para sair”, “lixo” e “ladrão”. Em nota publicada nesta terça, o ministro, que é vice-presidente do STF, afirmou que o ataque "é uma mistura de ódio, ignorância, espírito antidemocrático e falta de educação. O Brasil adoeceu. Espero que consigamos curá-lo e que uma luz espiritual ilumine essas pessoas". A iniciativa de Dino faz parte de uma estratégia de reestabelecer a interlocução do Ministério da Justiça com a cúpula do Poder Judiciário. Em entrevista ao GLOBO, Dino disse que pretendia intensificar o contato com integrantes da Corte no início deste ano. Na gestão de Bolsonaro, o ex-ministro da Justiça Anderson Torres foi isolado pelo STF por permanecer ao lado do ex-presidente em ataques ao sistema eleitoral.