Presidente sul-africano abandona reunião da Commonwealth por distúrbios em seu país

O presidente sul-africano Cyril Ramaphosa em Londres em 17 de abril

O presidente sul-africano Cyril Ramaphosa abandonou de maneira antecipa a reunião de cúpula da Commonwealth, que acontece em Londres, em consequência dos distúrbios em seu país.

"Para seguir a situação (na província do) Noroeste, o presidente decidiu encurtar sua participação na reunião de chefes de Governo da Commonwealth em Londres, onde lidera a delegação governamental", anunciou a presidência sul-africana.

A polícia da África do Sul anunciou a detenção de 16 pessoas por atos violentos na Província Noroeste, em particular ao redor da capital provincial Mahikeng, onde os manifestantes instalaram barricadas nas estradass para exigir melhores condições de moradia e de trabalho.

O presidente Ramaphosa "fez um apelo à calma e a favor do respeito à lei na província", afirma o comunicado oficial.

Ele pediu à população que expresse as suas reivindicações "por meios pacíficos e não pela violência e anarquia", ao mesmo tempo que exigiu da polícia demonstrações de "grande moderação" no exercício de suas funções.

O encontro de cúpula da Commonwealth, que começou na segunda-feira, reúne até esta sexta-feira os governantes de 53 países. Londres tenta estreitar as relações com os países que integravam seu império colonial, a menos de um ano da saída do país da União Europeia, prevista para março de 2019.