Presidente do Twitter enfrenta ira de funcionários em reunião sobre Musk

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Sheila Dang e Katie Paul

DALLAS/PALO ALTO (Reuters) - O presidente-executivo do Twitter, Parag Agrawal, tentou reduzir a ira de funcionários nesta sexta-feira durante uma reunião em que os empregados exigiram respostas sobre como a companhia lidará com um esperado êxodo de pessoal provocado pela venda da empresa para Elon Musk.

A reunião aconteceu após Musk, bilionário dono da montadora de carros elétricos Tesla fechar acordo para comprar o Twitter em uma transação de 44 bilhões de dólares, repetidamente criticar as práticas de moderação de conteúdo do Twitter.

Durante a reunião, que foi acompanhada pela Reuters, executivos do Twitter disseram que a companhia vai monitorar o quadro de pessoal diariamente, mas que é muito cedo para dizer como o acordo com Musk vai afetar a retenção da equipe.

Musk tem afirmado que vai cortar salários do conselho de administração e da diretoria do Twitter, segundo fontes próximas do assunto. Uma fonte afirmou que Musk não tomará decisões sobre cortes de pessoal até assumir o controle do Twitter.

"Estou cansado de ouvir sobre valor ao acionista e dever fiduciário. Quais são seus pensamentos sinceros sobre a alta probabilidade de muitos funcionários não terem emprego após o acordo ser fechado?", perguntou um membro do Twitter a Agrawal.

O executivo respondeu que o Twitter sempre se preocupou com seus funcionários e que vai continuar fazendo isso. "Acredito que a futura organização do Twitter vai continuar a se preocupar com seu impacto no mundo e sobre seus clientes", disse ele.

Executivos afirmaram durante a reunião que a taxa de demissão da empresa não mudou em relação aos níveis anteriores à notícia de que Musk tinha interesse em comprar o Twitter.

Nos últimos dias, Musk tem usado sua conta no Twitter para criticar a principal advogada do Twitter, Vijaya Gadde, veterana da empresa e respeitada no Vale do Silício. Os ataques de Musk dispararam uma torrente de críticas e assédio contra Gadde.

Funcionários também disseram aos executivos que temem que o comportamento errático de Musk possa desestabilizar os negócios do Twitter e prejudicar a empresa financeiramente.

Sarah Personette, vice-presidente de clientes do Twitter, respondeu que a empresa está trabalhando para se comunicar frequentemente com os anunciantes e assegurar que "a maneira como servimos os nossos clientes não está mudando".

Após a reunião, um empregado do Twitter disse à Reuters que há pouca confiança nas palavras dos executivos aos empregados.

"O discurso não está colando. Eles disseram para não comentarmos e seguirmos com o trabalho que nos orgulhamos, mas não há um incentivo claro para isso", disse o funcionário.

Agrawal deve receber 42 milhões de dólares se for desligado dentro do prazo de 12 meses numa mudança no controle do Twitter, segundo a empresa de pesquisa Equilar.

Durante a reunião, Agrawal afirmou para os funcionários se prepararem para mudanças na liderança futura da empresa e reconheceu que a companhia poderia ter apresentado um melhor desempenho ao longo dos anos.

Procurados, representantes do Twitter não comentaram o assunto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos