Presidentes dos Três Poderes chamam atos de golpistas e terroristas e pregam união

BRASÍLIA, DF, 09.01.2023 - TRÊS-PODERES: O presidente Lula (PT) e seu vice Geraldo Alckmin (PSB) se reúnem com representantes dos Três Poderes, em Brasília, nesta segunda-feira; os presidentes Rosa Weber (STF), Arthur Lira (Câmara), e os ministros Luiz Roberto Barroso (STF), Fernando Haddad (Fazenda) e Flávio Dino (Justiça) participam da reunião. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 09.01.2023 - TRÊS-PODERES: O presidente Lula (PT) e seu vice Geraldo Alckmin (PSB) se reúnem com representantes dos Três Poderes, em Brasília, nesta segunda-feira; os presidentes Rosa Weber (STF), Arthur Lira (Câmara), e os ministros Luiz Roberto Barroso (STF), Fernando Haddad (Fazenda) e Flávio Dino (Justiça) participam da reunião. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os presidentes dos Três Poderes divulgaram nota conjunta na manhã desta segunda-feira (9) repudiando os atos golpistas e de vandalismo que ocorreram em Brasília no dia anterior.

"Os Poderes da República, defensores da democracia e da carta Constitucional de 1998, rejeitam os atos terroristas, de vandalismo, criminosos e golpistas que aconteceram na tarde de ontem em Brasília", diz a nota.

O documento é assinado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pelo presidente do Senado em exercício, Veneziano Vital do Rêgo, pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, e pela presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Rosa Weber.

Pela manhã, Lula se reuniu com a ministra Rosa Weber e com o deputado Arthur Lira no Palácio do Planalto.

Também participaram do encontro, segundo divulgado em agenda oficial do presidente, os ministros do STF Roberto Barroso e Dias Toffoli, além de José Múcio (Defesa), Flávio Dino (Justiça), Rui Costa (Casa Civil), Fernando Haddad (Fazenda), Alexandre Padilha (Relações Institucionais) e Paulo Pimenta (Secom).

O petista terá ainda reunião com os comandantes das Três Forças.

Veja a íntegra da nota:

"Nota em defesa da democracia

Os poderes da República, defensores da democracia e da carta Constitucional de 1998, rejeitam os atos terroristas, de vandalismo, criminosos e golpistas que aconteceram na tarde de ontem em Brasília.

Estamos unidos para que as providências institucionais sejam tomadas, nos termos das leis brasileiras.

Conclamamos a sociedade a manter a serenidade, em defesa da paz e da democracia em nossa pátria.

O país precisa de normalidade, respeito, e trabalho para o progresso e justiça social da nação."