'Presidirei todas as sessões', diz titular da comissão da qual Daniel Silveira é vice

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  31-03-2022: O deputado Daniel Silveira (UniãoBR-RJ). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, 31-03-2022: O deputado Daniel Silveira (UniãoBR-RJ). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara, Aluisio Mendes (PSC-MA), diz que presidirá todas as sessões, restringindo o espaço para o vice, Daniel Silveira (PTB-RJ), ter ingerência sobre o colegiado.

"Como temos uma comissão que funcionará por pouco tempo, pretendo presidir todas as sessões até o recesso branco", diz ele, em referência ao período da campanha eleitoral, em que o Congresso fica esvaziado.

Menos de uma semana após ser perdoado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), Silveira foi eleito vice-presidente da comissão na quarta-feira (27) em votação que demorou para ser concluída pela dificuldade de conseguir o quórum para eleger a chapa.

"O Daniel Silveira é uma questão do partido dele. Se me fosse perguntado, eu teria uma outra opção. Mas o PTB é o dono da vaga, e até onde eu sei, o deputado está no pleno gozo das suas prerrogativas", afirma Mendes.

A estreia do novo comando já deve ser ruidosa. Na pauta, há projetos polêmicos como o das deputadas Sâmia Bonfim (PSOL-SP), Luiza Erundina (PSOL-SP) e Fernanda Melchiona (PSOL-RS), que prevê a criação de zonas de proteção em torno de locais onde são realizados abortos legais ou atendimento a vítimas de violência sexual.

A proposta é uma resposta ao assédio sofrido por uma criança de 11 anos no Recife, no qual investiga-se a participação de integrantes do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Outro projeto na pauta é o 5417/2020, de autoria de Eduardo Bolsonaro (PL-SP), que autoriza a veiculação de propagandas de armas de fogo em qualquer mídia.

Mendes diz que a pauta foi feita pela assessoria da comissão, utilizando como critério os projetos mais antigos sem movimentação.

"Não vamos fazer a questão do Daniel Silveira um cavalo de batalha para prejudicar a população que está esperando a aprovação desses projetos", diz. Ele acredita que, embora possa haver embates, haverá maturidade dos integrantes da comissão para aprovar projetos em torno dos quais há consenso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos