Preso mais um acusado de participar da morte de turista argentino no Rio

Felippe Flehr*

A Polícia Civil prendeu mais um acusado de matar Matias Sebastian Carena, de 28 anos, assassinado na madrugada do dia 28 de março, após uma briga na saída de um bar em Ipanema, zona sul do Rio.

Júlio César Oliveira Godinho se entregou na sede do Serviço de Polícia Interestadual (Polinter) e foi levado para um presídio de Bangu, onde ficará à disposição da Justiça, aguardando julgamento.

Pedro Henrique Marciano, conhecido como PH, um dos envolvidos no crime, foi o primeiro a ser preso ainda no começo de abril. Segundo a Polícia Civil, Marciano chegou a pegar um táxi com Toddy Cantuária, mais um acusado pela morte, para tentar fugir do Rio de Janeiro.

"Apuramos que ele [Toddy] pegou um táxi, juntamente com Pedro Henrique Marciano. O Toddy deixou o amigo em casa, em Copacabana, e seguiu para a Urca, pegou algumas roupas e se dirigiu ao Aeroporto Internacional do Galeão, onde pegou um voo com conexão em São Paulo com destino a Madri", explicou o diretor da Divisão de Homicídios da capital, Rivaldo Barbosa.

Além de Toddy Cantuária, também está foragido Thiago Lessa Silva, responsável, segundo as investigações, por desferir golpes de muleta na vítima.

"O Matias [turista argentino] já estava caído e ainda assim eles continuavam desferindo golpes de muletas e chutes. A necrópsia, porém, constatou que a causa da morte foi a queda que ele teve quando foi atingido por um soco no rosto dado pelo Toddy Cantuária. Ele [o turista] apagou e caiu de cara no chão. Foi nesse momento que morreu", disse o delegado Rodrigo Brand, da Divisão de Homicídios, responsável pelas investigações.

 

*Estagiário sob supervisão de Lílian Beraldo