Preso padrasto que torturou e desfigurou rostos de enteados no interior de SP

Os enteados, com idades de 4 e 7 anos, foram torturados pelo padrasto Deivid Alex dos Santos, também acusado de deixá-los com rosto desfigurado após agressões. (Foto: Reprodução)
Os enteados, com idades de 4 e 7 anos, foram torturados pelo padrasto Deivid Alex dos Santos, também acusado de deixá-los com rosto desfigurado após agressões. (Foto: Reprodução)

Deivid Alex dos Santos, de 21 anos, acusado de torturar os enteados de quatro e sete anos e deixá-los com rosto desfigurado após agressões, foi preso na manhã desta quinta-feira (21) em Jardinópolis no interior de São Paulo.

Acompanhado de um advogado, o homem se entregou à polícia por volta das 9h30, após a Justiça decretar a prisão preventiva dele na quarta-feira (20).

Ele, que estava desaparecido desde a última quinta-feira (14), quando as agressões e torturas contra as crianças foram descobertas.

Segundo o advogado de Deivid, Douglas Marques, assim que tomaram conhecimento da expedição do mandado de prisão foi feito contato com o delegado para agendar a apresentação do padrasto.

“Trata-se de um jovem primário, que não é dado à criminalidade, não tem histórico de crimes de violência. A gente torce para que tudo seja esclarecido dentro do processo”, afirmou.

Entenda o caso

As agressões foram descobertas na última quinta-feira (14) e denunciadas pela tia de um dos meninos após ela receber fotos dos ferimentos do sobrinho. De acordo com a investigação, as crianças teriam sido agredidas dentro de casa.

O pai da criança de quatro anos, Vitor Manoel Zeferino, contou que o filho relatou que apanhou com fios e com um chinelo. O menino também disse que recebeu chutes e socos do padrasto.

O delegado André Baldochi, responsável pelas investigações, disse que os meninos foram espancados na quarta-feira (13), e não na quinta-feira (14) como a família havia informado antes.

“A mãe, depois de quarta-feira, ficou com as crianças, tentou esconder da família e só viu que a situação era grave quando foi ao hospital e não conseguiu esconder.”

A mãe dos meninos, Caroline Menezes de Lima, de 22 anos, foi presa preventivamente na quarta-feira (20). De acordo com o delegado, ela sabia das agressões há dois meses e manteve contato com o padrasto mesmo após as denúncias, indicando omissão.

Agora a mãe é investigada por omissão, porque, na visão do delegado responsável pelo caso, ela não fez nada para impedir a violência do companheiro contra os filhos, e também por tortura.

O delegado disse que a mãe se surpreendeu com a ordem de prisão, negou qualquer tipo de envolvimento no crime e se manteve tranquila.

Segundo o Conselho Tutelar de Jardinópolis, as crianças são irmãs por parte de mãe. Após a denúncia, cada uma foi entregue ao respectivo pai para os cuidados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos