Médico preso por estupro já atuou em 7 hospitais e clínicas neste ano

Médico preso por estupro no Rio de Janeiro - Foto: Reprodução
Médico preso por estupro no Rio de Janeiro - Foto: Reprodução

Giovanni Quintella Bezerra, 31 anos, o médico anestesista preso em flagrante por estuprar uma grávida durante a cesariana, atuou neste ano em pelo menos sete unidades de saúde, incluindo clínicas especializadas em mulheres.

O anestesista foi preso em flagrante na última segunda-feira (11), após colegas de trabalho do Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti (RJ), filmarem o profissional estuprando uma grávida durante cesariana. O médico colocou o pênis na boca da paciente dopada.

No entanto, a prisão do médico foi convertida em preventiva nesta terça-feira (12) e ele já passou a primeira noite isolado na unidade prisional Bangu 8, destinada a detentos com nível superior.

O médico se formou em 2017 pelo Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), no Sul Fluminense, e concluiu a especialização em anestesia no início de abril.

Segundo informações do Portal Metrópoles, além do Hospital da Mulher Heloneida Studart, Giovanni trabalhou junto a outras seis unidades de saúde em 2022, de acordo com dados que constam em registros do Cadastro Nacional de Estabelecimentos em Saúde (Cnes), do Ministério da Saúde.

Entre os hospitais e clínicas em que o médico atuou este ano, três estão no Rio de Janeiro, no Hospital Estadual Getúlio Vargas (HEGV); na Policlínica Femi Video Clínica e na Jam Clin Med Assistência Médica. As demais foram em Mesquita, no Complexo Regional de Mesquita Maternidade e Clínica da Mulher (Hospital da Mãe); Nova Iguaçu, no Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI); Duque de Caxias, no Hospital Municipal Adão Pereira Nunes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos