Presos escondiam celulares na fechadura de cela no Rio

Carolina Heringer
Celulares escondidos em compartimento de fehadura

Durante uma operação realizada pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) do Rio, na manhã desta quinta-feira, na penitenciária Gabriel Ferreira Castilho, conhecida como Bangu 3, agentes encontraram dois celulares em um local inusitado. Os aparelhos estavam no compartimento da fechadura de uma das celas da unidade. No total, 24 telefones foram apreendidos na ação, além de um “smartwatch”.

Todo o material encontrado foi encaminhado à delegacia para a realização de registro de ocorrência. De acordo com informações da Seap, a operação foi realizada em apoio à ação da Polícia Civil nas comunidades do Salgueiro e do Jardim Catarina, em São Gonçalo. Em Bangu 3, no Complexo de Gericinó, estão presos chefes da maior facção criminosa do Rio, mesma quadrilha dos bandidos das comunidades de São Gonçalo.

Desde 2019, a Seap já apreendeu 10.826 celulares nas cadeias do Rio. Além disso, no mesmo período, 23 servidores foram flagrados tentando entrar com objetos ilícitos nas unidades prisionais.

Há uma semana, agentes da Seap encontraram oito sacolés de maconha escondidos nos chinelos de três homens que tinham acabado de ser presos e foram encaminhados pela Polícia Civil ao Presídio Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio. No mesmo dia, duas visitantes foram flagradas, na Cadeia Pública Cotrin Neto, em Japeri, na Baixada, tentando entrar com 119 gramas de erva seca picada, supostamente maconha, e 207 gramas de massa resinosa escura, supostamente haxixe.

O registro de ocorrência dos materiais encontrados no Presídio Frederico Marques foi feito na 31ª DP. Já as mulheres e as drogas apreendidas com elas foram levadas para a 63ª DP.