Presos fazem rebelião em MG, ateiam fogo em colchões, e seis ficam gravemente feridos

·1 min de leitura

RIO — Vinte pessoas ficaram feridas após detentos atearem fogo em colchões no presídio Inspetor José Martinho Drummond, em Ribeirão das Neves, em Belo Horizonte, nesta quinta-feira. Dentre as vítimas, seis estão em estado grave, com queimaduras de 2º e 3º graus e cinco precisaram ser entubados.

Os presos iniciaram uma rebelião nesta tarde por causa da superlotação e condições de insalubridade das celas. O local possui capacidade para 1.047 detentos, mas abriga 2.270. Segundo o diretor de comunicação do Sindicato de Policiais Penais de Minas Gerais, Magno Soares, uma cela com capacidade para 10 presos estava abrigando 20.

As vítimas foram encaminhadas para o Hospital de Pronto Socorro João XXIII, referência para tratamento de queimados em Belo Horizonte. Os presos que sofreram queimaduras graves foram transportados de forma aérea. A Polícia Militar de Minas Gerais monitora o caso. A direção do presídio investiga como a rebelião começou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos