Promotoria sueca pede prisão perpétua para autor de atentado em Estocolmo

Copenhague, 26 abr (EFE).- O Ministério Público da Suécia pediu nesta quinta-feira prisão perpétua para o uzbeque Rakhmat Akilov, autor confesso do atentado com um caminhão ocorrido há um ano atrás no centro de Estocolmo, no qual morreram cinco pessoas e 15 ficaram feridas.

"Qualquer pena que não seja a prisão perpétua está excluída. Não há nenhuma circunstância atenuante. Pelo contrário, há muitos agravantes", disse hoje o promotor Hans Ihrman ao encerrar suas considerações no julgamento realizado em Estocolmo.

Ihrman afirmou que se trata de um crime de terrorismo "em sua forma mais evidente".

"(Akilov) queria assassinar cidadãos suecos, os que estivessem na rua, qualquer um. Atropelou famílias inteiras, mulheres, crianças, jovens, idosos. Para ele dava no mesmo. E essa frieza ele mostrou dia após dia nesta sala", afirmou o promotor.

Akilov, que aceitou as acusações de terrorismo, admitiu durante o seu depoimento no tribunal há dois meses que queria obrigar a Suécia a deixar a coalizão internacional contra o Estado Islâmico (EI) e lamentou que o país nórdico patrocinasse uma guerra na qual morrem "milhões de muçulmanos inocentes".

O acusado percorreu mais de meio quilômetro da principal rua de pedestres de Estocolmo em 7 de abril de 2017, atropelando as pessoas com um caminhão roubado minutos antes, até se chocar contra a fachada de uma loja de departamento.

O uzbeque, um solicitante de asilo com ordem de expulsão da Suécia, fugiu do caminhão depois que uma bomba caseira que ele tinha colocado em seu interior não explodiu, e foi capturado pela polícia em um subúrbio de Estocolmo horas depois do ataque, cuja autoria não foi reivindicada pelo EI.

O julgamento, que começou em 13 de fevereiro, finalizará provavelmente na próxima semana e então se saberá a data na qual será ditada a sentença. EFE