Pressão aumenta sobre Dome e pedidos por demissão ganham coro no Flamengo; Ceni é bem avaliado

Marcello Neves
·2 minuto de leitura
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Domènec Torrent nunca foi uma unanimidade dentro do Flamengo. Nem mesmo as vitórias no Campeonato Brasileiro ou a boa campanha na Libertadores e Copa do Brasil aliviam o técnico catalão, que vê os resultados recentes aumentarem a pressão sobre o seu trabalho. A goleada por 4 a 1 para o Atlético-MG, nesta quarta-feira, fez o comandante balançar como nunca no comando técnico do Rubro-Negro.

Se dependesse da maioria dos membros da cúpula de futebol, Dome teria sido após a derrota por 5 a 0 para o Independiente del Valle, no Equador, pela Libertadores. Marcos Braz bancou, mas as novas goleadas por 4 a 1 para o São Paulo e agora para o Atlético-MG colocaram até o vice-presidente de futebol em xeque. A pressão, que já era grande, agora está próxima do insustentável.

Braz é um dos poucos que segue ao lado de Dome, enquanto alas do futebol do Rubro-Negro e grupos políticos pressionam o presidente Rodolflo Landim pela demissao. No Mineirão, o técnico catalão conversou com o vice de futebol e Bruno Spindel de portas fechadas e se mostrou abatido. Entretanto, foi discutido o planejamento para o confronto contra o São Paulo, na próxima quarta-feira.

A favor de Dome está a proximidade de jogos decisivos, pelas quartas de final da Copa do Brasil, onde enfrenta o São Paulo, e das oitavas de final da Libertadores, onde pega o Racing. Demiti-lo agora sem um substituto encaminhado é visto como um problema pela perda de tempo de trabalho e a possibilidade de ir com um interino em jogos decisivos para o restante da temporada.

Contra, está a sua multa rescisória. Landim afirmou que é "maior que a de Jorge Jesus", que foi para o Benfica por cerca de 1 milhão de euros, mas ele se referia aos valores se clubes de fora do Brasil quisessem contratá-lo. A rescisão unilateral do contrato é de valor inferior — o que não significa que o valor é irrelevante. De toda forma, até este momento, Dome segue como técnico do Flamengo.

Como a permanência de Dome não é garantida, nomes começam a ser especulados no Flamengo. Os mesmos griupos políticos que pedem a demissão também têm Rogério Ceni, do Fortaleza, como preferido para assumir o comando do clube. A informação foi divulgada inicialmente pelo jornalista Mauro Cézar Pereira, da ESPN, e confirmada. Não houve contato até o momento.